Banco Central da Argentina Congela Saldo em Doláres no Pais até Eleições

Banco-Central-da-Argentina-Congela-Saldo-em-Doláres-no-Pais-até-Eleições

Na Argentina o BC (Banco Central) tomou uma medida significativa ao congelar os saldos de dólares mantidos pelos bancos no país. Nesse movimento, o BC estabeleceu um limite para a quantidade de dólares que as instituições financeiras podem manter, com base no montante que possuíam no final do dia de quinta-feira (12).

Impacto da decisão…

A partir de agora, para que os bancos possam aumentar suas reservas de dólares além desse limite, é requerida uma autorização antecipada do Banco Central Argentino. É importante notar que essa nova regulamentação estará em vigor até o final de outubro e não terá impacto sobre os depósitos em dólares de indivíduos nas instituições financeiras.

A decisão teve um impacto considerável no cenário político. O economista Martín Tetaz, e também deputado federal da Argentina, destacou a importância dessa medida e comentou:

“Essa ação impede que os bancos adquiram dólares”. 

Tetaz faz parte da oposição política e é crítico em relação ao governo de Alberto Fernández, que busca consolidar Sergio Massa, Ministro da Economia, como seu sucessor.

Segundo os especialistas econômicos, o objetivo principal dessa ação é conter a desvalorização do peso argentino e combater a inflação, especialmente à luz das eleições presidenciais que se aproximam em 22 de outubro. 

Porque o Banco Central da Argentina quer congelar dólares no país?

A medida visa aumentar a disponibilidade de dólares no mercado, ao mesmo tempo que impede a especulação cambial, já que os bancos estão impossibilitados de ampliar seus saldos em dólares à vista.

Segundo Bernardo Mariano, sócio na empresa de pesquisas ERDesk, as ações do Banco Central são voltadas para a estabilização dos mercados no período que antecede as eleições.

No entanto, o dia 31 marca um ponto de viragem, uma vez que o impacto das restrições será sentido de forma muito mais severa do que se não existissem. Projeta-se que haverá um aumento considerável no valor do dólar. Mariano destaca que esse tipo de medidas é um tema recorrente no cenário econômico da Argentina.

Veja Outros Conteúdos

Diante da escassez do dólar em mercado argentino, devido ao aumento da demanda pela moeda nos últimos tempos, algumas medidas foram tomadas. Estas medidas foram implementadas como resposta à situação. 

Em agosto, o ministro da Economia e candidato ao governo, Sergio Massa, defendeu uma redução de 21% do valor na moeda oficial. Esta decisão foi tomada logo após as eleições primárias. Esta decisão foi necessária para permitir o desembolso do empréstimo de 44 milhões de dólares concedido pelo Fundo Monetário Internacional (FMI).

Argentina adotará o dólar como moeda oficial?

O principal adversário de Massa, Javier Milei, propôs a dolarização da Argentina, eliminando o peso argentino e adotando o dólar dos U.S.A como moeda oficial, ganhando a liderança nas pesquisas sobre intenção de votos. Com tantos desdobramentos e incertezas, o cenário político e econômico na Argentina permanece dinâmico e sujeito a mudanças constantes.

Deixe um comentário